Histórico‎ > ‎

2010 - Ano VIII

 

Dois mil e dez foi um ano cheio de provações para a Cia. de Teatro. Começamos o ano sabendo que perderíamos o espaço que tradicionalmente é utilizado para nossa encenação. A prefeitura criará um projeto de creches para atender a demanda da comunidade local e o lugar escolhido para a construção é exatamente o espaço em frente à comunidade onde deveria existir uma praça.

 

A dificuldade existe e é certa, porém não havia motivos para tristeza, já que Deus sempre que nos fechou uma porta, abriu duas janelas, e a existência de um campo de futebol em frente à comunidade Santa Inês, nos foi disponibilizado com muita caridade pelo seu responsável para que nele fosse realizada a apresentação, fica aqui registrado nosso agradecimento a todas estas pessoas que abriram mão de seu espaço de lazer para nosso projeto de evangelizar.

 

Assim os planos foram sendo criados e a equipe de coordenadores iniciou os trabalhos em busca de auxílio, dentro eles um muito importante o convite para uma reunião com o diretor da secretaria da cultura do município de Campinas. Em cima deste convite criaram-se muitas expectativas em relação à colaboração vinda da prefeitura, mas, infelizmente ainda não foi desejo de Deus que desta vez fossemos atendidos, e certos de que tudo nos chega no tempo de Deus tocamos em frente para mais um ano de realização. De forma geral o encontro com diretor da cultura, na época Sr. Vinícios Gratti, ainda repercute positivamente para nossa alegria, nossa reunião despertou um misto de conhecimento e curiosidades em relação à peça, e na apresentação recebemos sua visita, para nossa alegria, de forma que nos prometeu apoio mesmo fora da prefeitura para os próximos anos.

 

O dia da encenação já virou um misto de tradição e emoção, sem fugir a regra de sempre foi um dia abençoado. Da Chuva fina que teimou em cair durante todo dia, que em alguns momentos nos fez temer pela realização do espetáculo, passando por problemas de energia, luz e som. Os vídeos gravados para homenagear os patrocinadores abriram a encenação de forma diferente, mas não menos brilhante.

 

As mudanças pela necessidade do novo local surtiram alguns bons efeitos positivos outros nem tanto, mas mantivemos a fé e a coragem de atingirmos mais uma vez nosso objetivo, evangelizar pela arte.

Um dos momentos mais emocionantes foi pouco antes do teatro se iniciar, quando pairava a duvida se teríamos condições de fazer a encenação em meio à garoa e a ameaça de chuva, foi maravilhoso ver pessoas chegando com seus guarda-chuvas, dispostas a resistir à chuva para ver mais uma vez a bela peça, pois como algumas pessoas dizem “o teatro é uma forma muito forte de fazer-nos conhecer a um homem, que se doou inteiramente por amor a nós”.

 

A apresentação foi um sucesso, apesar das situações difíceis que apareceram, e que foram resolvidas com muita simplicidade e fé. E no final a alegria e a colaboração de cada participante foi intensa e Deus se fez presente, nos fazendo superar todas as barreiras deste dia.

 

Obrigado mais uma vez senhor, pela fé e pelo amor, pelo carinho e pela dedicação de cada uma das pessoas que fizeram mais este ano de encenação possível.

 

Atores, figurantes, diretores, coordenadores, as pessoas que nos ajudam nos bastidores, na cortina, no chão, no som, na voz, na iluminação, a cada um que dedica seu tempo, nas festas e rifas, na venda de camisetas e bingos, nos torneios e festas, na confecção de roupas, na maquiagem, no texto, e principalmente nos patrocínios, que são necessários para levar cada vez mais o amor de Deus a todos os nossos irmãos.

 

Pela oitava vez, evangelizamos pela arte, mostrando a mais bela historia de amor que o mundo já viu.

Este é o exemplo que deixamos os filho e netos desta paróquia e desta cidade.

 

 

 

Números, Dados e curiosidades de 2010:

 

 

Cenas: 30

Musicas: 45

Duração: 01h45minh

Atores envolvidos: 73

Figurantes: Aproximadamente 40 pessoas

Bastidores: 50 pessoas

Custo: R$ 16.000,00

Publico: 9.000 pessoas

 

 

 

Pontos Principais:

 

·         Enforcamento de Judas feito em uma árvore no morro

 

  • A ascensão de Jesus aos céus

 

  • O calvário, onde Jesus sai do palco e percorre todo morro até morte na cruz

 

 

Curiosidades:

 

 

  • Antes de entrar em cena a angústia devido à chuva era aparente entre os atores, mas quando a música começou e todos foram chamados a iniciar a peça, a chuva acalmou e a quantidades de fleches das máquinas fotográficas dos expectadores iluminaram e animaram todos os atores.

 

  • A mesa de iluminação montada queimou devido à chuva, mas os técnicos tentaram solucionar da melhor forma possível e tudo aconteceu normalmente, sendo que fora os organizadores, ninguém percebeu que a iluminação não estava perfeita.

 

  • Nos ensaios sempre é orientado aos atores que interpretam o povo os momentos em que devem sair ou entrar de cena, mas os mesmos gostaram tanto do palco que na cena dos ramos os organizadores tiveram quase que subir ao palco para pedir que se retirassem.

 

  • A emocionante chegadas das pessoas com seus guarda-chuvas. Prova maior que mesmo com chuva o espetáculo deveria começar.
Comments